fundo parallax

DICA RTC #4: Clipe ADEUS (Cainã e a Vizinhança do Espelho, 2018)

 

Com ADEUS, o grupo Cainã e a Vizinhança do Espelho emprega volumes de sensibilidade insuspeita para abordar um tema batido e entregar um dos clipes mais concisos e emocionalmente contundentes do ano.


fundo parallax
 
 

A perda amorosa é um dos sentimentos mais intensos conhecidos (e temidos) pelo ser humano. Sendo assim, também é um dos maiores combustíveis para a expressão artística, sendo foco central de incontáveis obras nas mais distintas modalidades, do Cinema à Música, passando pela Dança e pelas Artes Plásticas. No entanto, ainda que seja um dos temas mais abordados no mundo da Arte, continua sendo surpreendente quando uma obra consegue comunicar o luto a nostalgia silenciosa resultante de tal perda com precisão e honestidade inequívocas como ocorre neste ótimo Adeus, clipe da última faixa do EP O Último Disco do Ano, do grupo Cainã e a Vizinhança do Espelho.

 

Trazendo uma narrativa não-linear que mescla o processo de assimilação / superação do Protagonista com suas memórias do relacionamento com Ela, o clipe imediatamente se revela um irmão de alma de obras como os longas Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças, The Disappearance of Eleanor Rigby: Him e, particularmente, o clipe Sleep on the Floor (do The Lumineers) ao adotar uma abordagem impressionista para retratar uma relação a dois e focar no valor emocional dos momentos mais prosaicos e dos mais significativos, criando uma simbiose intensa entre o que é posto na tela e a letra profundamente confessional.

 

Realizado por Cainã Morellato (frontman do grupo) num acúmulo de funções (Direção, Roteiro, Direção de Fotografia, Edição e Colorização) digno de Robert Rodriguez, o clipe impressiona pela coesão de sua concepção (a qual denota uma intimidade ímpar com o material) e pela forma com que revela o ecleticismo de seu autor, o qual desempenha múltiplos papéis com consistência admirável e demonstra talento na composição de planos (mesmo os mais óbvios, como aqueles que indicam o vazio emocional e presencial deixado pela partida Dela) e no controle da narrativa, a qual se desenrola num crescendo que ruma para um desfecho agridoce e reflexivo. E aqui vale ressaltar a decisão sublime de Morellato em estender o plano que representa o momento mais doloroso da relação, contrapondo-o com a passagem mais resignada da letra (Muito obrigado, valeu, tudo bem / Hoje foi quase, não deu, fica bem / Sei como é, já estive também / É complicado estar com alguém / Deixar de lado as certezas que tem) e criando a representação perfeita da ideia de momentos críticos que duram uma eternidade e ao qual recorrentemente retornamos mentalmente.

 

Beneficiado imensamente por uma simplicidade que lhe confere um senso de universalidade e pela expressividade angelical de Fabiana Marassati, o clipe Adeus é uma bem-vinda surpresa que não apenas comprova a criatividade e a verdade emocional de seu autor como ainda representa um dos melhores videoclipes nacionais vistos por nossa editoria neste ano. E que o trabalho apresentado aqui seja apenas um sinal do que Cainã e sua trupe podem trazer no futuro, pois, precisamos cada vez mais de exemplos humanos como este. Por enquanto, vale ver e rever esta pequena pérola sem hesitar.



LINK OFICIAL VEJA MAIS CLIPES DE CAINÃ
Guilherme Guio
Guilherme Guio
Publicitário, especialista em Comunicação Corporativa e Inteligência de Mercado, é o editor e redator principal do RTC. Atuando como consultor de Marketing Cultural na produtora cultural SERENA (da qual é sócio), resolveu dar vazão aos seus arroubos verborrágicos através deste projeto. Também é tabagista compulsivo, cinéfilo inveterado, adepto de audiófilo e dançarino amador vergonhoso nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.