fundo parallax

DICA RTC #7: Clipe “AQUARELAR” (Viratempo, 2019)

 

Misturando rotoscopia, surrealismo, simbolismos e uma dose cavalar de melancolia disfarçada de jovialidade, o grupo paulistano VIRATEMPO registra o luto amoroso e o árduo processo de ressignificação com visceralidade e ares psicodélicos no catártico clipe de AQUARELAR, segunda faixa de seu disco de estreia, CURA. (FOTOS: YouTube / Reprodução)


fundo parallax
 
 

Videoclipes são complexos por definição. Articulados a partir das mais distintas propostas e com os mais variados propósitos em mente, tais peças se distinguem infinitamente em forma, conteúdo e abordagem, mas inequivocamente se assemelham no objetivo central de estabelecer um diálogo com a faixa que acompanham e comunicar uma emoção ao espectador (seja ela consonante ou divergente em relação à faixa correspondente). No entanto, volta e meia nos deparamos com clipes que não apenas cumprem esta dupla função como ainda extrapolam a sonoridade à qual estão atrelados e criam camadas adicionais de significado, num intrigante processo expansivo que lhe confere vida própria. E é exatamente isso que ocorre com AQUARELAR, clipe da segunda faixa de CURA, o ótimo disco de estreia da banda paulistana VIRATEMPO.

 

Produzido por Gimpa e dirigido pela dupla Daniel Ferro e Marcello Costa, o clipe traz a mescla duma série de imagens evocativas que oscilam entre o surrealismo e o prosaico com transições caleidoscópicas que conferem um ar psicodélico e transcendental à obra. Com um visual deliberadamente cartunesco (fruto da rotoscopia, método de animação empregado na sua realização) e todo baseado no uso ostensivo de cores sólidas, o vídeo automaticamente chama a atenção pela forma com que se adequa perfeitamente à faixa atrelada (e ao senso de ironia contido nesta) e apresenta seus elementos centrais de forma centrada e extremamente focada para, gradativamente, distorcê-los numa progressão que não apenas acompanha a cadência do som como registra visualmente os temas contidos na letra de forma admirável.

fundo parallax
 
 

E é aqui que este trabalho se revela genuinamente digno de nota: Ao adotar esta abordagem para ilustrar a mistura de nostalgia e resignação declarada pelo eu lírico em meio à sonoridade vivaz (a qual cria um forte contraste com o que é dito), o clipe vai além e abre espaço para sugerir nuances e subtextos que não estão evidenciados na letra através de simbolismos contundentes (vide a mosca, o relógio e a torneira), indicando os angustiantes volumes de conflito interno do eu lírico (vide a autodestruição sugerida pelos cigarros e pelas latas) que são movidos por universo de sentimentos não-declarados (como recalque, mágoa, desejo, dúvida e uma falta profunda) e projeções, numa leitura que lhe enriquece brutalmente. E a montagem reversa ao final se mostra fascinante por permitir que o espectador faça sua própria interpretação sobre o que foi visto, sobre o que aquela catarse realmente significa e de como foi processada.

 

Melancólico, estranhamente contagiante, visualmente rico e com um senso efluente de humanidade, Aquarelar é praticamente um exercício terapêutico em formato audiovisual que não apenas comprova o talento de seus autores como registra categoricamente sua imensa sensibilidade. E que o pathos e a inteligência vistos nesse exemplar sejam indício do que é possível esperar em registros futuros. Enquanto isso, vale assistir repetidamente.



LINK OFICIAL CONHEÇA O YouTube de VIRATEMPO
Guilherme Guio
Guilherme Guio
Publicitário, especialista em Comunicação Corporativa e Inteligência de Mercado, é o editor e redator principal do RTC. Atuando como consultor de Marketing Cultural na produtora cultural SERENA (da qual é sócio), resolveu dar vazão aos seus arroubos verborrágicos através deste projeto. Também é tabagista compulsivo, cinéfilo inveterado, adepto de audiófilo e dançarino amador vergonhoso nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.